Os monstros precisam de amigos

Olha o outro do alto de si mesmo. O outro que te fere, que te afasta, que te enfraquece. Fá-lo presente diante de ti, e olha-o longamente. Então, permite que a raiva, a dor e o resssentimento, aflorem. Mas não te prendas neste olhar.

Respira. Espera um pouco e olha de novo. E diz,

Esta pessoa é um ser humano, tal como eu.

Esta pessoa nasceu nua, tal como eu.

Esta pessoa tem fome e sede, tal como eu.

Esta pessoa já experimentou a dor física, tal como eu.

Esta pessoa já sofreu mais do que pensou suportar, tal como eu.

Esta pessoa sente-se só e inadequada, por vezes, tal como eu.

Esta pessoa já tentou falar, e foi silenciada, tal como eu.

Esta pessoa merece gentileza e empatia, mesmo quando não merece, tal como eu.

Esta pessoa sou eu, por vezes, e tal como eu, precisa de perdão.

Este Outro que me fere, por vezes, sou eu. E eu mereço compaixão integral.

Este monstro, cá dentro e lá fora, precisa do meu amor.

Envia-lhe o teu amor, seja com um sopro, um pensamento ou um desejo.

E fica em paz.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s